Egresso

O perfil do egresso da FAFIMA está intrinsecamente vinculado ao perfil profissional definido no projeto pedagógico de cada curso, aliado à filosofia definida no seu projeto pedagógico institucional, qual seja: formar profissionais criativos, críticos e reflexivos, aptos para a inserção no mercado de trabalho e para a participação no desenvolvimento da sociedade.

O perfil dos egressos dos cursos propostos para a FAFIMA é definido em consonância com a missão da IES e com as matrizes curriculares dos cursos. A definição das matrizes curriculares leva em consideração o perfil desejado para cada curso, observando a seleção de conteúdos necessários, as competências e as habilidades a serem desenvolvidas para se obter o referido perfil, como também a necessidade de preparação dos alunos para o mundo do trabalho; de atendimento às novas demandas econômicas e de emprego da região de Macaé; de formação para a cidadania crítica; de preparação para a participação social em termos de fortalecimento ao atendimento das demandas da comunidade; de formação para o alcance de objetivos comprometidos com o desenvolvimento harmônico; de preparação para entender o ensino como prioridade fundamentada em princípios ético-filosóficos-culturais-pedagógicos, que priorizem efetivamente a formação de pessoas, reconhecendo a educação como processo articulador/mediador, indispensável a todas as propostas de desenvolvimento sustentável a médio e longo prazos; e a de propiciar formação ética, explicitando valores e atitudes, por meio de atividades que desenvolvam a vida coletiva, a solidariedade e o respeito às diferenças culturalmente contextualizadas.

A consolidação do perfil do egresso exige o oferecimento de oportunidades para o desenvolvimento de 03 (três) competências básicas, comuns a todas as áreas:

Competência para resolver problemas que abarcam outras dimensões, como flexibilidade e adaptabilidade a novas situações;

Competência para adotar decisões fundamentais, que remete à habilidade de selecionar informações relevantes, seja no trabalho, na área cultural ou no exercício da cidadania;

Competência para continuar aprendendo, única forma pela qual o resultado da ação educativa pode responder a contínua diversificação e mudança nas demandas do mercado de trabalho e da sociedade.